Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Isto de estar grávida e já com uma barriga considerável (para não dizer gigante) faz-me olhar para as caixas prioritárias de uma forma diferente para não dizer essencial (para não dizer antes: DEIXEM-ME PASSAR QUE ISTO POR AQUI PESA!). 
Mas mesmo assim acreditem que ainda há quem faça o olhar 0ºgraus - aquele olhar que não desvia nem um milímetro do operador de caixa para não se aperceber que tem uma grávida gigante ao lado - não vá o camarão que veio comprar para o almoço de domingo descongelar e ainda apanham todos lá em casa uma valente disenteria.
O que mais me lixa é quando estamos mesmo a falar de caixas prioritárias - destinadas a grávidas, pessoas com crianças de colo, idosos e pessoas de mobilidade reduzida - aquelas caixas que têm sinalização em cima, ao lado, por baixo (só faltam terem sirenes!) e mesmo assim é essa que (o cidadão normal, saudável) vai escolher das 40 caixas que existem! Porquê? Porque é a que está mais vazia. E porquê razão estará mais vazia essa caixa? Para que as pessoas com dificuldades sejam atendidas mais rapidamente! Digo eu...mas eu só vim cá ver a bola.
Aconteceu-me hoje no Jumbo de Alfragide.
À minha frente com toda a traquitana já no tapete rolante estava uma senhora de 45 (máximo 50 anos) - que não estava grávida (pelo menos que se notasse), não estava com nenhuma criança de colo (a única criança de colo presente na fila era a senhora atrás de mim que tinha um bebé no carrinho), não estava de cadeira de rodas, nem muletas nem o tanas. O que me leva a pensar que a única prioridade dela é considerar-se uma pessoa idosa - talvez pela falta de visão lateral que tem, pois nem olhou uma única vez para a fila de prioridades atrás das suas hortênsias, garrafas de vinho e seleção irrepreensível de queijos.
Para não acabar por aqui a história, chego ao carro (que está estacionado no lugar azul mesmo ao lado da porta e das escadas rolantes) e tenho o carro trancado por uma carrinha! A sério? Vamos imaginar só que as minhas águas tinham rebentado e estava numa situação de emergência e que tinha de sair dali o mais rapidamente possível (sei lá...porque PODE MESMO ACONTECER!).
Não acham que isto do civismo quer mesmo dizer alguma coisa?
Ah Portugal, Portugal! Se não fosse este tempo maravilhoso...

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Inês a 28.09.2015 às 17:25

Olá Teresa,
Li o seu post e realmente é como diz. Vão para as caixas prioritárias e olham para o lado para não verem ninguém.
No entanto, achei que devia comentar pelo seguinte: as caixas prioritárias podem ser utilizadas por qualquer pessoa, prioritária ou não. A diferença é que se aparecer uma pessoa prioritária, a própria funcionária deve pedir a essa pessoa para passar à frente. Lógico que se já estiver a fazer a conta de um não prioritário, acaba esse e depois é que passa ao seguinte.
Só ainda não percebi porque é que este tipo de caixas existe. A prioridade para estas pessoas (grávidas, com mobilidade reduzida, etc..), não deveria ser a regra em qualquer caixa, fila, autocarro ...... e por aí fora?
Beijinhos
Inês
Imagem de perfil

De Teresa Serrano a 30.09.2015 às 10:35

Completamente de acordo Inês!
É um ato de civismo que nem deveria ter de ser assinalado.
No entanto, acrescento ainda outro episódio que me aconteceu. Numa fila não prioritária o operador de caixa viu-me e disse para passar à frente e ainda tive de ouvir de uma senhora dizer que aquela não era uma caixa prioritária, por isso é que ela a tinha escolhido. Enfim...é o temos!
Imagem de perfil

De Aerdna a 12.10.2015 às 08:14

Por situações como a que descreve é que a empresa (hipermercado) para a qual trabalhei mudou a designação de "Caixa prioritária" para "Caixa EXCLUSIVA".
Desta forma só se atendia nessas caixas pessoas que justificassem a necessidade: grávidas, pessoas com bebés, diabéticos que pedissem e comprovassem, e etc...

Acabaram-se os problemas? Não. Existe sempre alguém “mais esperto” que fura as regras, mas diminuísse muito o uso dessas caixas por parte de pessoas que podiam esperar normalmente numa fila.

O que posso aconselhar é que façam essa sugestão à cadeia de hipermercados que costumam usar.

Além de ser um acto de educação e civismo a pessoa que está na fila da caixa prioritária deixar passar quem se aproxima e que notoriamente tem prioridade, também é função da operadora dessa caixa estar atenta e zelar pela prioridade. Mas o lema é escapar por "entre linhas". E não é assim tão português, infelizmente o mundo é assim.


Felicidades!
Imagem de perfil

De Girl About Town a 12.10.2015 às 11:56

Sou operadora de caixa num hipermercado e também lá temos caixas prioritárias que são diferentes de caixas exclusivas.
As exclusivas são apenas para pessoas que necessitem de prioridade, as outras pessoas não podem ir para estas caixas.
O que mais existe nos hipermercados são as ditas caixas prioritárias em que qualquer pessoa pode ser atendida mas as gravidas, pessoas com crianças de colo e etc tem prioridade.
E ao contrario do que se pode pensar, pelo menos no hiper onde trabalho não é a operadora de caixa que tem que perguntar aos clientes se querem usar a prioridade.
Clientes com direito a prioridade devem informar a operadora de caixa se quiserem exercer esse direito, até porque a operadora não advinha se estão gravidas ou não quando a gravidez ainda esta numa fase inicial, depois a operadora é que irá informar a fila que o cliente tem prioridade e que vai exercer o seu direito.
E isto porque?
Muitas vezes com filas enormes é impossível ver se existe alguém com prioridade, ou até podem causar situações embaraçosas como por exemplo dar prioridade a uma senhora que parecia gravida e na verdade não o estava.
Eu tento sempre gerir a fila e tentar ver se existe alguém com prioridade e se tiver dou-lhe passagem, isto para tentar evitar confusões mas não é nada fácil.
Claro que se toda a gente tivesse mais civismo este tipo de problema não existiria.
Imagem de perfil

De A-lupa-de-alguem a 12.10.2015 às 12:53

Compreendo perfeitamente a situação. Queria apenas, dizer, que a caixa prioritária funciona como uma caixa normal, e as pessoas ditas normais, ou seja, não prioritárias, podem a usar, e no caso de chegar alguém prioritário, ou "o alguém prioritário" ou a operadora de caixa podem pedir , cedência de passagem, e atenção, o cliente não prioritário pode negar a passagem, é triste, mas é assim que funciona...
Imagem de perfil

De Uma mulher apaixonada a 12.10.2015 às 23:19

Olá,

Também estou grávida (pela 2ª vez) e deparo-me com cenas (tristes) dessas constantemente... A última vez que fui para uma caixa prioritária e a senhora que estava na caixa me chamou para passar à frente (uma vez que quem estava para ser atendido era um homem que imagino que não estivesse grávido e 2 crianças, um rapaz para aí com 8 anos e uma rapariga de 11), deparei-me com o "olhar 33" da rapariga como quem estava completamente ofendida por pessoas como eu (grávidas) estarem a passar à frente... Felizmente já existem caixas exclusivas... Confesso que gosto mais destas! :)

Comentar post



Um blog de experiências do dia-a-dia com um toque de sarcasmo e ilustrado por uma designer que " Quando-for-grande-quer-ser-ilustradora".


Tradução/Translate


I Saw Jesus in a Toast

Blogs

Tumblr


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Bloglovin