Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Quase ninguém tem como cor preferida o roxo. É tão impopular (ou ainda mais) que o conhecido amarelo. Uma está associada à morte e a outra à doença. Mas na verdade, nos exemplos que irei dar em baixo, até que o roxo tem bastante vida e alegria. Basta fazer as conjugações certas. Ora vejam:

8164c43662455e29965b3396045ce956.jpg

via Living at Home 

8.jpg

via olaalhaeezuvim.blogspot.pt

5df0980ae3d0e4da36de6a5055363a73963f9ac7.jpg

via Apartment Therapy

cd805854ab6c54a23f0618d087bd58b8.jpg

via Bohemian and Chic

 

Screen Shot 2016-09-07 at 17.17.18.png

via The Room Edit

 

Gostam?
T**

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foi em Maio do ano passado que o meu amigo se foi embora e que o pequeno Chico entrou nas nossas vidas. 
Foi muito duro e ainda agora a primavera não chegou da mesma forma que costumava chegar ao meu estado de espírito. Há este espinho que me fez ficar zangada durante três dias e sem vontade de falar ou estar com ninguém. Acho que a isto se deve chamar luto. Mas depois, quando chego a casa tenho o Chico - cada vez mais parecido com ele - que me faz esquecer por um bocadinho. Parece que ele está ali de novo. Até os feitios são parecidos.
São lindos os meus gatinhos. O de ontem e o de hoje. Para sempre.

jeremias_aka_chico_WEB (1).jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

PICT0001.jpg

Por muito estranho que possa parecer para quem está grávida pela primeira vez, a partir do momento em que temos um filho nos braços pela primeira vez, tudo muda. 
O que até então é apenas um conceito, passa a realidade e o instinto animal vem ao de cima num sentimento bruto mas tão puro como o primeiro ar que entra nos pulmões daquele pequeno ser - ele fica no meu colo e deixa de chorar porque reconhece o lar dos últimos nove meses e eu sinto que um pedaço de mim está agora ali e que tenho de o proteger com todas as minhas forças (apesar de não trazer livro de instruções e ao primeiro choro, olhar para toda a gente que me rodeia para me ajudarem porque não faço ideia onde fica o botão de mute). Entre todos estes sentimentos que se apoderam de nós nos primeiros 60 minutos (que parecem 15!) inicia-se um outro processo - o de o alimentar. 
Após todas as leituras que tinha feito até à data do parto, era óbvio que eu queria dar leite materno ao meu filho (quanto mais tempo, melhor!) mas as coisas não são assim tão lineares e por isso escrevo este post. 
O Dinis nasceu sem saber mamar. Por isso mesmo, esteve na unidade neonatal - afastado de mim - e apesar de eu ir lá de três em três horas dar peito, ele era alimentado por uma sonda com leite artificial.
Nesse momento mil macaquinhos assombraram a minha cabeça: Nunca vou conseguir alimentar o meu filho. O meu leite nunca vai subir. Sou péssima! E muitas lágrimas por aí fora... Ora, o que é certo, é que consegui dar leite materno ao Dinis apenas um mês.
Nunca foi em abundância e posso dizer que durante trinta dias, 18 horas eram relacionadas com leite: ou a amamentar (a tentar!) ou a retirar com a bomba. Posso dizer que fiz os possíveis e os impossíveis para que a coisa corresse bem, mas pelos vistos, não era por ali. 

Ele não se entendia com aquilo, ficava irritado e desatava a chorar fervorosamente. Eu entendia ainda menos e quando ele começava a chorar, ficava nervosa. Conclusão: Comecei a tirar o meu leite e dar com o biberão.
Esta foi então a segunda fase: Tirar leite durante 30 minutos, dar leite durante 30 minutos, pôr a arrotar mais 30 minutos e ficar com hora e meia até ao próximo biberão (mentalizem-se futuras mamãs!).
Tudo corria bem com este método até que comecei a ficar sem leite. 
Era cada vez menos. Eu ficava nervosa com isso porque queria alimentá-lo ao máximo e em exclusivo com o meu leite, mas era inevitável ter de começar a introduzir o leite artificial como suplemento. E assim, ao fim de um mês, começou a beber exclusivamente leite artificial porque o meu secou. Pura e simplesmente.
Por isso mães que não têm/não conseguem amamentar os vossos filhos, não se sintam mal com isso porque há inúmeros casos à vossa volta. 
Deixem de ler artigos sobre os benefícios do leite materno para a criança porque só vos vai deprimir (o que não é nada aconselhável nesta fase, porque a depressão pós-parto é outro tema que também tem de ser levado muito a sério neste período e são momentos como este que podem ajudá-la a despoletar).
Leite materno é bom quando há. Quando deixa de haver, vamos agradecer por estarmos num país de primeiro mundo com uma farmácia ou supermercado ao virar da esquina onde há sempre uma lata de leite artificial com a qual podemos alimentar o nosso filhote (ou não fosse o verbo desenrascar tipicamente português).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estações

11.02.16

Os ciclos fazem parte da vida. Aqui está o meu no último ano.

23SEMANAS.jpg

3meses_700.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nos últimos meses temos tido notícias de vários sobrinhos que vêm a caminho e por isso tenho andado dedicada a fazer presentinhos para eles.
Este mobile é a minha coqueluche do momento e foi feito para o Xavier, que vai ser o primeiro a nascer. 
PICT02.jpgA ideia aqui foi reutilizar e fazer algo único, pensado de raiz para este sobrinho. Neste caso, decidi usar uma lata de NAN para fazer a caixinha de transporte do mobile (que pode depois ser utilizada para outra finalidade) e personalizada com um X.

PICT001.jpg

PICT004.jpgPICT03.jpg
Que tal? Gostam?
T**09

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nú Carnaval

08.02.16

Devo confessar que não sou grande fã desta época festiva mas perdoem-me os que não passam um ano sem desencantar um novo disfarce.
Na minha mais singela opinião, acho que é a altura em que a maioria dos costumes de fantasias sexuais sai do armário para arejar o cheiro a naftalina sem ter de se justificar porque é que há na gaveta uma bata de enfermeira sexy ou umas botas de verniz vermelhas. Há, a meu ver, quatro categorias de fantasias "carnavalescas" sexys a ter em conta:

01. A Gatinha Sexy:
Este fato é geralmente composto por um maiô e umas collants pretas.Coloca-se em seguida uma cauda "marota" e umas orelhinhas "fofinhas", pinta-se a ponta do nariz com uns bigodes e pousa-se para as fotos sempre a mostrar uma mão com unhas em forma de garra enquanto com a outra agarra a cauda de forma a mostrar os glúteos bem trabalhados do step.


02. A Enfermeira Sexy:
O disfarce é composto por uma bata três tamanhos abaixo do tamanho que normalmente é usado, lingerie vermelha a espreitar por debaixo da bata e sandálias ou botas vermelhas de verniz. Podem acompanhar com um toucado branco com uma cruz vermelha e ainda usar uma seringa como acessório (podem ter certeza que existem muitos pacientes sedentos de levar uma pica nesse dia).


03. A Bruxinha Sexy:
O costume é composto por um chapéu pontiagudo e uma peruca roxa acompanhado por um vestido bem curto preto e umas botas altas de verniz. O acessório que nunca pode ser esquecido é a vassoura que é utilizada para fazer umas quantas "maldades" a quem se meter à sua frente.

Ps - Se estes três disfarces forem usados por três amigas numa saída à noite, podem ter a certeza que no final terão o número de telefone de um Super-Homem, um Homem-Aranha e de uma matrafona com um metro e oitenta.
Ps2 - Se os decotes das três forem generosamente "sexys" têm entrada VIP na discoteca durante o próximo mês inteiro.

Passemos á quarta categoria e sem dúvida a mais sofrida de todas.

04. A-Rapariga-Do-Biquíni-de-Lantejoulas-do-Corso...Sexy:

Este é sem dúvida o mais trabalhoso de todos os disfarces. Não só porque é o mais elaborado (os biquínis costumam estar repletos de contas cintilantes por todos os lados) mas também porque precisam de saber sambar - o que não me parece nada fácil.
Juntem a isto estarem 6 graus lá fora e uma chuva teimosa que não pára de cair, mas... "The show must go on" - qual Ivete Sangalo, qual quê!
De Loulé a Torres Vedras e de Torres a Ovar muita Maria aprendeu a sambar para poder dançar no corso. Com sorte ainda aparece na reportagem que a RTP faz no local e é Rainha do carnaval do próximo ano.


Ps3- Quem ganha com estas quatro categorias é mesmo o Cêgripe.



Autoria e outros dados (tags, etc)

Os dias

16.12.15

Os meus dias têm sido inteiramente dedicados à maternidade. Decidi que já que tenho este tempo, vou aproveitá-lo ao máximo para conhecer este pequeno ser - que cada dia adoro mais, diga-se.
Voltarei em força a escrever no blog em 2016. 
Por agora, deixo algumas imagens dos nossos passeios de fim de tarde por Lisboa.
T**

sé.jpg

dinis_na_sé.jpg

tejo.jpg

dinis_tejo.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há já algum tempo que faço as séries d'O espelho.
Comecei por fazê-lo para experimentar a camera nova mas rapidamente se tornou num registo de momentos marcantes da minha vida no último ano e pouco.
O mais engraçado é que em cada um destes registos está uma mulher diferente e isso nota-se. Desde a felicidade do pós-casamento às olheiras da recém-mãe tudo ficou ali documentado e eu lembro-me perfeitamente o que sentia em cada uma destas ocasiões.
Ora vejam:

1.jpg

 Acabada de noivar (feliz e serena);

3 (1).jpg

No dia do casamento (feliz mas nervosa) - ®artfacts fotografia;

2.jpg

Pós-casamento (feliz e confiante);

4.jpg

Recém-mãe (cansada mas feliz!).

Se há três anos atrás me dissessem que estes seriam os acontecimentos de um ano na minha vida ter-me-ia rido até cair para o lado por não acreditar. Hoje garanto que foi uma mudança grande mas muito MUITO boa.
Façam os vossos registos! Vão ver que é engraçado.

T**

 




Autoria e outros dados (tags, etc)

O quarto

05.11.15

Finalmente o quarto do Dinis pronto e já em uso.
Feito com muito amor e carinho.
Espero que gostem.

T**

quarto_final_01.jpg
NuvemMeshcrochet; Cómoda - Ikea;
Letra D e muda-fraldas - Jumbo; Cesto preto - Kasa (Continente).

quarto_final_03.jpg
Veado - Capitão Lisboa; Bandeirolas - Handmade by Teresa Serrano;
Manta e Tapete - Area; Berço e Elefante - Ikea.

DSCF8470.jpg

quarto_final_02.jpg
Almofadas e ilustração - Handmade by Teresa Serrano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

1_ANO.png

Foi no final de Outubro de 2014 que comecei a escrever o Crónicas Web -2.0.
Tinha um objetivo muito bem delineado sobre o que queria fazer com este blog - dar a conhecer o meu trabalho de ilustração e semanalmente escrever uns textos sarcasticó-humoristícos aos quais chamei crónicas. Com o passar do tempo e depois de alguns posts mais pessoais que tiveram bastante aceitação por parte dos leitores, fui mostrando um pouquinho do que é a minha vida, os meus gatos, o meu maridão e mais recentemente todo o processo que foi a minha gravidez.

O balanço deste primeiro ano é muito positivo. Gosto de escrever e ter retorno do que escrevo (mesmo que por vezes não consiga responder a todos os comentários). Gosto da interação que existe entre blogs/bloggers que a Sapo Blogs promove (e muito bem!). Gosto de pensar nos conteúdos, de agendar posts, de fazer dos meus fins de semana reportagens fotográficas, que os meus amigos me dêem ideias para posts em conversas do dia a dia. Gosto dos emails que recebo de leitores que ao lerem o meu blog sentem que me conhecem e me pedem conselhos. 
Por isso tudo o que mencionei em cima só posso prometer que vou continuar a postar (pode não ser com a mesma frequência que antes, mas ter um recém-nascido não deixa tempo para muita coisa).
Concluo com um feliz aniversário a mim e um obrigada a vocês.

T**

Autoria e outros dados (tags, etc)


Um blog de experiências do dia-a-dia com um toque de sarcasmo e ilustrado por uma designer que " Quando-for-grande-quer-ser-ilustradora".


Tradução/Translate


I Saw Jesus in a Toast

Blogs

Tumblr


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Bloglovin