Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


jeremias e joao.jpg

 

Quando há seis anos atrás decidi adotar o Jeremias, lembro-me que investigava em todos os blogs e mais alguns de associações de adoção de animais sobre o tema e uma das histórias que me lembro de ter lido no blog da Associação Entregatos foi a de um gato que tinha sido abandonado porque a dona estava grávida. Gato esse que nunca chegou a sair da praceta onde vivia anteriormente com os seus donos e a quem os vizinhos davam comida mas que começou a apresentar variações de humor, febre e acabou por morrer. Lembro-me de ter achado esta história macabra e por aquela altura nem sequer sabia o que era a toxoplasmose e não entendi o porquê do abandono do animal de estimação. Hoje continuo a não entender o abandono, mas já percebi o porquê de coisas destas acontecerem e por isso mesmo escrevo este post para tentar ajudar a desmistificar o assunto toxoplasmose.
Agora sou eu que estou grávida, não sou imune à toxoplasmose e tenho dois gatos em casa. Quando fiz as primeiras análises e soube que não era imune a médica disse-me todos os cuidados que tinha de ter com a alimentação e higiene mas quando eu lhe disse que tinha dois bichanos em casa, os conselhos duplicaram. Mas acho que devemos ver estes conselhos como medidas de precaução e não como anunciações do fim do mundo.
Vamos por pontos:
A toxoplasmose é sim transmitida pelas fezes dos felinos e apesar de não ser prejudicial para os adultos, se formos infetadas durante a gravidez pode ser prejudicial para o bebé. Isto é o que temos de saber.
Agora as entrelinhas.
• Os gatos contraem toxoplasmose por comerem carne crua ou caça (ratinhos e assim) o que significa que a maioria dos gatinhos domésticos que estão em casa o dia todo e os donos os alimentam de ração, não têm forma de ter este parasita.
• Se quiserem ficar mais descansadas podem ainda fazer um teste ao gato para ver se é portador ou não do parasita. Isto podem fazê-lo no veterinário.
• A toxoplasmose é bastante mais perigosa quando contraída no primeiro trimestre de gravidez (quando o feto ainda se está a formar).
Bem, não querendo estar a sintetizar demasiado a problemática, aconselho a leitura deste artigo do blog Arca de Noé que acho bastante elucidativo e que me tranquilizou muito.
Por aqui e em jeito de conclusão, só vos posso dizer que os nossos felinos têm tanto para nos dar que não merecem ser neglicenciados em nenhuma situação. Tomem as precauções necessárias (como é óbvio) mas não lhes neguem um belo colinho cheio de ronron.
Uma dica: a caixa da areia pode continuar a ser trocada pelos maridões, eles não têem de saber disto :)

Autoria e outros dados (tags, etc)


por TERESA SERRANO - este é um blog de experiências do dia-a-dia com um toque de sarcasmo e ilustrado por uma designer que " Quando-for-grande-quer-ser-ilustradora".

Tradução/Translate


Pesquisar

  Pesquisar no Blog