Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O berço também já está pronto. 
Como já tinha referido num post anterior, pertenceu à minha mãe e é feito de ripas de madeira que foram molhadas e moldadas de forma a ter esta forma de canastra que permite embalar o bebé, pondo o berço no chão.
Cá por casa ainda não sabemos muito bem como o vamos utilizar mas pelo sim pelo não, comprámos uns pés de madeira para o colocar ao lado da cama.
A forra, colcha e almofadas do berço foram feitas pela avó (a mesma que há 58 anos atrás também ali foi embalada).
O quanto gosto de objetos com história. :)

00001 (4).jpg

00002 (3).jpg

00003 (3).jpg
T**

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nunca na vida imaginei que fosse preciso levar tanta coisa para a maternidade!
Mas quantas mais listas vejo mais me perco, por isso, decidi utilizar exclusivamente a do hospital.

Mesmo a do hospital é extensa e muito organizada. Todas as roupas do Dinis devem ir em sacos separados (6 - s e i s!) com etiquetas a indicar qual o dia a que se destinam, fora as fraldas e produtos de higiene (e podem acreditar que o necessaire dele é bem maior que o meu!). A minha mala são outros 300 e sempre separada da do bebé. A bagageira do carro está cheia, mas tudo a postos.

00001 (3).jpg

00003 (2).jpg

Como mãe de primeira viagem que sou (e neste momento com algum tempo), decidi fazer eu os sacos para as mudas de roupa do Dinis.

00004 (1).jpg

 Também já está na mala uma chucha com o pendura-chupetas da Mesh.

00002 (2).jpg

E para a pele do bebé a gama da Barral Baby Protect foi a minha escolha. 
T**

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cada vez mais real e depois de 1 hora de ecografia começo finalmente a sentir-me mãe.
O que vejo no ecrã deixou de ser apenas um filme que via com um certo distanciamento para uma realidade palpável  - e até visível! -  porque este rapaz começou a mexer-se (bastante). Agora não há sombras de dúvidas que ele está aqui comigo.

Sentindo-me assim - mãe - entrei na Knot para dar uma vista de olhos ainda a pensar que a barriga passava despercebida. Pelos vistos já não passo pela tia que vai comprar o presente para o sobrinho ou a empregada tem um olho clínico bem treinado. O que é certo é que me ajudou muito neste mundo novo de 3/4 peças que um bebé-tem-de-vestir-sempre-e-que-não fazia-a-menor-ideia. Acabei por comprar o primeiro conjunto que o Dinis irá vestir quando nascer. Um babygrow + gorro e luvas da Baby Bubble 100% algodão e anti-bacteriano que reduz o risco de infeções nos recém-nascidos e sem qualquer etiqueta no interior para um maior conforto.

BABYBUBBLE_01.jpg

Senti-me muito orgulhosa pela minha escolha e para além disso tive ainda direito a uma lista para a maternidade que me vai ser muito útil para saber o que tenho de ir arrumando na mala.

BABYBUBBLE_02 (2).jpgJá para uma outra altura que não o primeiro mês do Dinis, veio a prenda da Raquel (que adorei!).
Se há peça que não acho a mínima piada, é o babete. E porquê? Porque é quase sempre muito grande com estampados que não acho a mínima piada ou então plastificado (que acho mesmo terrível). O engraçado é que o Babete-Gravata da Ciranda Portuguesa calou todos os argumentos que fiz anteriormente contra os babetes. 

ciranda_portuguesa.jpgÉ giro, tem um padrão que acho o máximo e a forma é genial (é claro que já descobri um fornecedor para os próximos anos).
Dêem uma olhadela no facebook porque vale a pena.
T**

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


por TERESA SERRANO - este é um blog de experiências do dia-a-dia com um toque de sarcasmo e ilustrado por uma designer que " Quando-for-grande-quer-ser-ilustradora".

Tradução/Translate


Pesquisar

  Pesquisar no Blog